Os Insetos da Horta

Escola Profssional Agrícola Conde São Bento (Santo Tirso)

Desafio: "Os Insetos da Horta"

Registo Fotográfico:

Insetos Benéficos/Auxiliares:

Espécie 1:
As borboletas fornecem uma ampla gama de benefícios ambientais, incluindo polinização, fonte de alimento e como indicadores do bem-estar de ecossistema. No caso especifico da espécie Lepidoptera, os seus adultos contribuem para a polinização de plantas dependentes de insetos. As espécies como Sphingidae, por possuírem um comprimento de espirotromba excepcionalmente longo, são responsáveis pela polinização de flores com longos tubos na corola. Esse aspecto dá à ordem uma grande importância económica, auxiliando na reprodução de diversas espécies de plantas comercializadas. Desenvolvem de igual forma um importante papel na industria têxtil, na produção de bicho-da-seda.

Espécie 2:
A espécie Apis Mellifera, é extremamente importante no ecossitema agrário. Os adultos são
florícolas, alimentando-se de pólen e néctar das flores silvestres e das plantas cultivadas, o que os
coloca entre os principais insectos polinizadores.Uma colmeia não é apenas importante para a produção de mel. As abelhas são extremamente eficazes no processo de polinização, essencial de algumas plantas. A presença de abelhas indica que há diversidade e que as flores vão se multiplicar.
Para a reprodução vegetal é necessária a propagação do pólen, mesmo para as variedades que se polinizam autonomamente, os insetos polinizadores são benéficos porque aumentam a produtividade e a qualidade.Estes insetos podem ser considerados também predadores encontram-se em colónias de afídeos de praticamente todas as culturas, sejam arvenses, horto-florícolas ou arbustivas e arbóreas.

Espécie 3:
A espécie Coccinellidae, ou vulgamente designada por "joaninha" é uma das principais responsáveis pelo controlo biológico de afídeos, os famosos pulgões, que se alimentam da seiva das plantas e causam diversos prejuízos e estragos na área da horticultura. Além disso, a sua dieta também inclui larvas, ácaros e pequenas lagartas, prejudiciais às plantas e aos seres humanos, sendo também utilizada em luta biológica. Como curiosidade, podemos salientar que apenas uma joaninha é capaz de devorar 200 pulgões em um dia.

Insetos Prejudiciais:

Espécie 1:
Vulgarmente conhecido por Besouro-da-batata ou escaravelho-da-batata, de nome científico: Leptinotarsa decemlineata e pertencente à Familia Chrysomelidae, apresenta como características morfológicas: mede 8,5-11,5 milímetros de comprimento. Possui asas anteriores modificadas a recobrir as asas posteriores, apresentando pigmentação, geralmente, com riscas pretas e brancas ou amarelas. A cabeça e o tórax são escuros e o corpo é amarelo-pálido com dez riscas pretas longitudinais.
O escaravelho da batata quer em larva, quer em adulto, alimenta-se da folha da batateira, triturando-a pela borda. Uma batateira sem folhas não tem capacidade para formar as batatas, e se as consegue formar são muito pequenas ou mirradas.Qualquer tratamento inseticida deve ser feito apenas quando se observarem as primeiras larvas em atividade e o mais possível localizado (apenas nas plantas atacadas e nas das proximidades).No combate ao escaravelho da batateira, nomeadamente em Modo de Produção Biológico, é autorizada a aplicação de produtos à base de azadiractina e de spinosade. Para além da luta química, na luta biológica, com o recurso a espécies de insetos predadores como a joaninha, desempenham um papel significativo na proteção biológica da cultura contra este inseto prejudicial. Outro tratamento, passa pela luta química, com recurso à aplicação de produtos fitofarmacêuticos, nomeadamente inseticidas.

Espécie 2:
A Aranha vermelha, de nome científico - Nesticodes rufipes, apresenta morfologicamente um tamanho de aproximadamente dez milímetros a contar com as pernas. O corpo apresenta uma cor avermelhada, mas o abdómen possui uma coloração mais escura, que pode ser vista como a cor marrom. Possuem duas partes do corpo, cefalotórax (o tórax e a cabeça) e abdómen. Na horticultura, os primeiros sintomas são a aparição de pequenos pontos brancos nas folhas.Conforme o nível económico de ataque vá aumentando pode observar-se teias de aranha que esta praga fabrica com o objetivo de se defender dos depredadores. Caso não se proceda ao seu controlo, é provável que acabe por completo com as plantas.Um dos produtos mais eficientes na luta contra a aranha vermelha é o sabão de potássio que têm a propriedade de amolecer o exoesqueleto dos insetos até o ponto de deixá-los muito fracos até a morte, além disso, é um produto natural e inócuo para a saúde.
Aproximadamente uma hora depois de usar o sabão de potássio, é muito eficiente aplicar também o óleo de NEEN que é um inseticida natural extraído do fruto da árvore de Neem, que age perante uma ampla gama de pragas como: mosca branca, minador, aranha vermelha, trips, pulgão, piolho, escaravelho da batata, percevejo, etc.
Como solução caseira, refere-se a utilização de alho diluído em água e aplicado na planta inteira. É uma defesa contra todo tipo de insetos e fungos.

Espécie 3:
O Pulgão-da-couve (piolho-da-couve, afídio-da-couve ou afídeo-da-couve), de nome científico: - Brevicoryne brassicae, medem cerca de 2 mm de comprimento, de coloração verde com cabeça e tórax pretos e o abdómen verde com manchas escuras na parte dorsal.
O piolho-da-couve, é um afídio que ataca brassicáceas, por exemplo, couve, couve-flor e repolho, causando efeitos nefásticos. Os sinais observados do seu ataque, consiste na existência de grandes colónias e pela sucção contínua da seiva, produzem o engruvinhamento das folhas das brássicas, alojando-se no seu interior, prejudicando assim o desenvolvimento da planta. Esta espécie vive na face superior das folhas. O tratamento de combate, consiste na aplicação de inseticidas e utilização de predadores como as joaninhas.

Memória descritiva:
Para a realização do presente trabalho, recorreu-se numa primeira instância a uma pesquisa bibliográfica dos principais insetos auxiliares e inimigos das culturas, recorrendo a referências bibliográficas fidedignas. Após leitura e pesquisa da informação encontrada e dada a possibilidade de realizar um estudo de campo em culturas hortícolas, foi possível visualizar e detetar um conjunto de auxiliares e inimigos das culturas, capazes de integrar o presente trabalho.
As características, vantagens e desvantagens da sua utilização, enquanto auxiliares e os prejuízos causados, após a avaliação do risco e o nível económico de ataque, exibido pelos insetos prejudiciais, foi possível efetuar uma breve caracterização dos 3 insetos benéficos e auxiliares apresentados, bem como os 3 insetos prejudiciais, implicados no presente projeto.
Após recolha de evidências fotográficas em campo, em horta familiar, foi possível com recurso a material: lápis e papel, desenvolver protótipos do tipo do inseto observado e previamente identificado.
Apresenta-se abaixo, a bibliografia consultado para efeitos da realização deste trabalho:
- Bayer, Proteção das plantas - Manual de utilização, consultado a 14.05.20.
Revista Globo Rural, acedido a 12.05.20, disponível em: https://revistagloborural.globo.com/Cidades-- Verdes/noticia/2015/09/6-animais-amigos-da-horta.html
- Jardiland, acedido em 13.05.20, disponível em: https://www.jardiland.pt/destaque/atraia-as-abelhas-a-sua-horta-sao-imprescindiveis/
- Borboletario, acedido a 13.05.20, disponível em: https://www.borboletario.aguiasdaserra.com.br/importancia-das-borboletas-para-o-meio-ambiente/
- Wiki Ciências, acedido a 14.05.20, disponível em: https://wikiciencias.casadasciencias.org/wiki/index.php/Escaravelho-da-batateira