Os Insetos da Horta

Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra (Coimbra)

Desafio: "Os Insetos da Horta"

Registo Fotográfico:

Insetos Benéficos/Auxiliares:

Espécie 1:
Abelha - Apis mellifera
Um dos insetos mais incríveis e com uma comunidade em risco e a reduzir no nosso planeta, são as abelhas: uma colmeia não é apenas importante para a produção de mel.
Todos nós os reconhecemos e conhecemos a função vital das abelhas para o funcionamento de todos os ecossistemas terrestres.
As Abelhas são também extremamente eficazes no processo de polinização, essencial a algumas plantas, pois retiram o néctar das flores e levam o pólen de flor em flor, ajudando a reproduzi-las. A sua importância é tão grande, que alguns apicultores alugam as suas colmeias para os agricultores polinizarem as suas plantações.
Para atrair as abelhas, basta plantar muitas flores coloridas no nosso jardim ou horta, que floresçam em épocas diferentes, como por exemplo as flores silvestres. A presença de abelhas indica que há diversidade e que as flores vão se multiplicar.
Algumas ervas aromáticas também são um ótimo isco para atrair abelhas, como é o caso do Alecrim, Menta, Tomilho, Erva-Cidreira ou dos Orégãos.
Curiosidades:
- Só a Abelha-Rainha, também chamada de Abelha-Mestra, põe os ovos. As Abelhas-Operárias fazem tudo para a Rainha. Trazem-lhe comida e ajudam a construir, limpar e a guardar a colmeia.
Pesquisa:
https://cultivosdacaseiro.pt/jardinagem-ecologica/aliados-naturais-da-horta-7-insetos-nossos-amigos/
https://www.fazfacil.com.br/jardim/insetos-beneficos/
https://blog.noocity.pt/agricultura-biologica/insetos-beneficos-para-a-horta/
“O Grande Livro dos Insetos”, Yuval Zommer, Bizancio, 2016

Espécie 2:
Joaninha: Coleomegilla sp.
Além de sua beleza e de serem admiradas em muitas culturas como símbolo de boa sorte e fartura, as joaninhas têm o seu lugar no mundo por outra razão: estes pequenos besouros, conhecidos de todos, são predadores vorazes de Piolhos, Ácaros e Pulgões – os pulgões comem as plantas, por isso as Joaninhas são as melhores amigas do jardineiro!
Tanto a larva quanto o indivíduo adulto podem ingerir uma grande quantidade de pulgões e também outros insetos sugadores, como a cochonilha. Uma única joaninha pode comer mais de 50 pulgões por dia, sendo utilizadas para fazer o controle biológico desta praga em áreas de cultivo, evitando o uso de inseticidas químicos, que podem ser tóxicos ao ambiente e ao homem.
Mas este pequeno besouro também se pode alimentar pólen e néctar, mas cerca de 90% delas são carnívoras.
Para atrair Joaninhas para a horta plante Coentros, Funcho, Cominhos, Dente-de-Leão ou Cenouras!
Curiosidadse:
- As joaninhas têm uma estratégia de defesa: deitam-se com o abdómen para cima, seguido da liberação de um líquido com odor desagradável. Ao fingir-se de morta, ela esquiva-se do predador.
- As Joaninhas hibernam, descobrem um sítio escuro com um grupo de outras joaninhas.
Pesquisa:
https://www.planetahuerto.pt/revista/insetos-beneficos-para-a-horta-e-o-jardim_00049
https://blog.noocity.pt/agricultura-biologica/insetos-beneficos-para-a-horta/
http://faunaeflora.terradagente.g1.globo.com/fauna/invertebrados/NOT,0,0,1223476,Joaninha.aspx
“O Grande Livro dos Insetos”, Yuval Zommer, Bizancio, 2016

Espécie 3:
Libelinha: Calopteryx virgo
Este é um predador de respeito, no topo da cadeia alimentar dos insetos da horta, é uma ajuda preciosa no combate a mosquitos e moscas na horta, mantendo controlo eficaz sobre as pragas indesejadas ou prejudiciais.
Estes insetos, aparentemente frágeis, são capazes de consumir até 30 moscas num dia!
Apaixonadas pela água, onde depositam os seus ovos e encontram grande parte do seu alimento, são atraídas por tanques ou lagos. É sempre difícil atrair libelinhas na cidade!
Curiosidades:
- Parecem pequenos dragões voadores, azem loops como as avionetas e até conseguem voar para trás.
- Como depositam os ovos na água, os bebés saem dos ovos dentro de água e vivem nesse ambiente durante um dia, até as asas crescerem.
Pesquisa:
https://cultivosdacaseiro.pt/jardinagem-ecologica/aliados-naturais-da-horta-7-insetos-nossos-amigos/
https://blog.noocity.pt/agricultura-biologica/insetos-beneficos-para-a-horta/
“O Grande Livro dos Insetos”, Yuval Zommer, Bizancio, 2016

Insetos Prejudiciais:

Espécie 1:
Formiga - Acromyrmex spp.
As formigas são insetos conhecidos por todos. Vivem nos mais diversos ambientes e estão sempre atentas a qualquer pedaço de alimento que esqueçamos em algum lugar.
Há espécies de formigas conhecidas como cortadeiras, pois cortam as plantas e carregam os pedaços para dentro dos ninhos. Ao contrário do que muitos pensam, os pedaços vegetais carregados não servem para alimentação da colónia, mas sim, para alimentar uma espécie de fungo que, por sua vez, será o alimento das formigas.
Ao construírem os seus ninhos no solo, ao pé das plantas, prejudicam as suas raízes, podendo provocar o seu definhamento.
Outra forma de as formigas prejudicarem as plantas é protegendo outras espécies de pragas, como pulgões e cochonilhas. As formigas protegem esses animais da ação de predadores para obter alguma substância nutritiva em “troca”.
Curiosidades:
- O estudo das formigas denomina-se mirmecologia.
- As formigas “falam” através das antenas. Uma formiga toca com as antenas nas outras formigas para lhes passar a mensagem.
- A maioria das formigas vive 90 dias, mas a rainha pode viver até 15 anos!
Pesquisa:
https://www.jardineiro.net/pragas/formiga.html
“O Grande Livro dos Insetos”, Yuval Zommer, Bizancio, 2016

Espécie 2:
Vespa Asiática – Vespa velutina
Este inseto originário do sudeste asiático, chegou há alguns anos ao nosso país (os primeiros registos são de 2011) e tem feito elevados estragos nas colmeias, destruindo grandes colónias de abelhas, pois é uma espécie carnívora e predadora da abelha europeia (Apis mellifera).
Esta vespa específica alimenta-se de outros insetos polinizadores, como a abelha e a vespa, que contribuem para a reprodução das plantas e o desenvolvimento da horta.
É uma vespa de grandes dimensões, que pode chegar aos 3 cm.
Os seus ninhos primários têm cerca de 5-10 cm de diâmetro e os secundários têm a forma redonda ou em pêra, com cerca de 50-80 cm de diâmetro, e são geralmente feitos em árvores altas, em áreas urbanas e rurais. Os seus ninhos podem conter até 3000 vespas.
As armadilhas para apanhar estas vespas podem ser feitas por qualquer um de nós, com garrafas de plástico de 1,5 Lt (contribuindo para a reutilização deste material), e um isco para colocar dentro da garrafa. Esse isco líquido deve de ser elaborado de forma diferente, conforme a altura do ano. Depois é só pendurar numa árvore.
Curiosidades:
-A destruição dos ninhos deve de ser feita por pessoas com equipamento especializado, normalmente os Bombeiros.
- Quando atacam em grandes grupos, podem levar a graves reações alérgicas que podem levar à asfixia. Sendo um perigo para o homem.
Pesquisa:
Boletim da Câmara Municipal da Mealhada “Medidas de Prevenção Contra a Vespa Asiática” em parceira com a Associação de Apicultores do Litoral Centro.
https://jra.abae.pt/plataforma/artigo/vespa-asiatica-uma-pequena-grande-ameaca-para-a-sociedade-atual/

Espécie 3:
Ralo ou Grilo Toupeira – Gryllotalpa sp.
Os Ralos vivem debaixo de terra em solos húmidos. Escavam galerias que chegam a atingir 50 a 100 cm.
Alimentam-se de larvas e raízes e são assim causadores de importantes estragos na horta, causando danos não só nas raízes, como nos caules subterrâneos, rizomas e tubérculos.
É um inseto quase desconhecido mas de grande tamanho, chegando a atingir cerca de 5 cm de comprimento. As suas pernas anteriores estão bem adaptadas para a escavação.
Curiosidades:
- Por viverem no subsolo são difíceis de observar, pelo que quando os vemos à superfície significa que existem em abundância.
Pesquisa:
https://www.wilder.pt/que-especie-e-esta/que-especie-e-esta-ralo-ou-grilo-toupeira/
https://www.insetologia.com.br/2015/01/grilo-toupeira-em-portugal.html
https://benquerer-jogilbo.blogspot.com/2013/11/ralo-ou-grilo-toupeira.html

Memória descritiva:
Com a evolução do conhecimento dos benefícios dos produtos naturais e a crescente procura por alimentos de origem biológica, originou que muitas famílias e curiosos iniciassem a sua pequena horta. Por outro lado levou à pesquisa dos animais, que seriam benéficos e os que podem prejudicar a Horta familiar, dando origem a um número elevado de blogues de partilhas destes conhecimentos: daí a maior parte da nossa pesquisa ser efetuada na web.
Tendo em conta que este projeto foi lançado em tempo de confinamento devido ao COVID19, não houve oportunidade de pesquisar nas bibliotecas a literatura sobre o assunto.
Quanto à ilustração dos desenhos foi efetuada através de imagens retiradas das páginas da pesquisa e ilustradas por Carla Marques e Beatriz Baltazar aluna de GHA, com a técnica de lápis de cor.
A pesquisa dos Insetos da Horta foi efetuada pela turma de Turismo Cultural e do Património, 2º semestre a Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra e pela formadora Sónia Nabais no âmbito de uma disciplina do curso.