Os Insetos da Horta

Escola EB 2,3 Dr. João de Barros (Figueira da Foz)

Desafio: "Os Insetos da Horta"

Registo Fotográfico:

Insetos Benéficos/Auxiliares:

Espécie 1:
Joaninha
A joaninha é uma das principais responsáveis pelo controle biológico de pulgões, que se alimentam da seiva das plantas e causam estragos nas hortas. Além disso, sua dieta também inclui larvas, ácaros e pequenas lagartas prejudiciais às plantas e aos seres humanos. Uma joaninha é capaz de devorar 200 pulgões em um dia.

Espécie 2:
Libélula
Conhecida como a ave rapina dos insetos, a libélula está no topo da cadeia alimentar dos insetos, mantendo importante controle sobre pragas e animais indesejados ou prejudiciais. Segundo biólogos, elas comem sem parar e, apesar da aparência frágil, são capazes de consumir até 30 moscas em um dia.

Espécie 3:
Abelha
As abelhas, para além da produção de mel, são extremamente eficazes no processo de polinização, essencial para as plantas da horta.
A presença de abelhas indica que há diversidade e que as flores vão se multiplicar.

Insetos Prejudiciais:

Espécie 1:
Mosca-branca
Este inseto suga a seiva das folhas graças ao seu aparelho dentário de dupla função. Enquanto suga, segrega uma espécie de melaço que provoca o aparecimento de fungos (pulgão), bactérias e outros insetos.
Ao tocar ao de leve nas folhas, pequenos mosquitos brancos voam e vão se pousar no avesso das folhas, a algumas dezenas de centimetros mais longe. As folhas atacadas mostram vestígios de picadelas e têm cor cinza no avesso das folhas. A face superior da folha parece intacta.

Espécie 2:
Cochonilha
A cochonilha é um pequno inseto (mede cerca de 4 milímetros de comprimento) que deposita as suas larvas nas plantas da horta e em árvores de fruta. As larvas são de cor cinzenta ou dourada e têm uma consistência macia. Cada um destes insetos alimenta-se da seiva que extrai das folhas, dos caules e dos frutos das plantas. Enquanto se alimentam, segregam um melaço que favorece a formação do denominado ferrujão. Este fungo provoca o enegrecimento (tipo fuligem) das partes atacadas. Como consequências da sua ação impede a fotossíntese e a floração, aparecem malformações, apodrecimento e manchas foliares. A planta começa a ficar debilitada e caso a praga persista, morre.

Espécie 3:
Pulgões
Os pulgões, também conhecidos por piolhos-das-plantas, são insetos diminutos que se alimentam da seiva de plantas e constituem uma séria praga para a agricultura, ao sugarem a seiva das plantas e servindo como elemento de transmissão de vírus. Ao se alimentarem, inserem seu estilete nos vasos das plantas e alimentam-se da seiva delas, causando danos diretos, pois provocam o enfraquecimento generalizado, o enrugamento das folhas e a paralisação do desenvolvimento das plantas. Podem também trazer danos indiretos causados pela grande quantidade de açúcares eliminados, formando um ambiente propício para o desenvolvimento de fungos, os quais prejudicam a respiração e a fotossíntese das plantas, assim como transmissão de doenças, fazendo que a planta adoeça e morra.

Memória descritiva:
A atividade foi desenvolvida pela turma 11 do 6.º ano de escolaridade. Foi um trabalho opcional para os alunos, lançado no âmbito de uma hora semanal que os alunos têm com o diretor de turma, e participaram doze alunos da turma.
Todo o trabalho foi realizado “em casa”, durante o terceiro período, e dividiu-se em duas parte:
Na primeira parte os alunos, com a colaboração e ajuda da professora de ciências naturais realizaram as pesquisas necessárias sobre os insetos prejudiciais e benéficos para a horta.
Na segunda parte, agora com a colaboração do professor de educação visual, fizeram a ilustração dos insetos.