Espiral de Ervas Aromáticas

Escola Profissional Dr Francisco Fernandes (Funchal)

Desafio: "Espiral de Ervas Aromáticas"

Breve descrição das plantas selecionadas e motivo do respetivo posicionamento na espiral:
No topo foram plantadas: alecrim, tomilho, lavanda e orégãos, uma vez que é uma zona mais drenada com o solo arenoso e com mais luz.
Na zona intermédia virada mais sul plantamos sálvia, manjericão e coentros para obterem mais luz.
Depois, no fundo da espiral, plantámos ervas como hortelã e cebolinho por gostarem de mais humidade e luz. Citronela que querem quer muito sol.
Plantas tolerantes à sombra plantámos no norte, tais como a cidreira, funcho (também porque cresce muito e assim não tira a luz das outras plantas) e salsa.

Breve memória descritiva de como foi efectuado o trabalho:
Primeiro foi escolhido o terreno junto à horta biológica e ao hotel de insetos. Seguidamente os alunos fizeram a limpeza do terreno e começaram a construir a espiral, utilizando os recursos naturais existentes no terreno. Não houve necessidade de comprar nada, uma vez que até as plantas que faltavam foram os alunos que trouxeram de casa. Para evitar o crescimento das ervas daninhas os formandos colocaram papelão no início da construção. A seguir colocaram solo arenoso na zona superior da espiral. Distribuíram composto de vaca feito na escola misturado com terra, plantaram as ervas aromáticas e por fim cobriram com estilha para evitar o crescimento das ervas aromáticas, a desidratação do solo, a proteção da biodiversidade do solo e posterior adubação do solo. A construção do muro foi através dos saberes ancestrais dos alunos que utilizam na construção dos muros tradicionais madeirenses.