As Nossas Hortas Bio

Escola Básica de Moure e Ribeira do Neiva (Vila Verde)

A Nossa Horta Bio

Horta grande (superior a 50m²)

horta em janeiro

horta em março

saber mais sobre a nossa horta bio

desenho/croqui da horta

questionário

1. Há quanto tempo existe uma horta na escola?

11

2. Área aproximada da horta (m²):

900

3. Quem trata da horta?

3.1. N.º de professores envolvidos:

2

3.2. Disciplinas que mais participam na dinâmica da horta:

Ciências Naturais, Físico Química, Geografia, Português, Jardinagem, Estudo do Meio, Matemática, Atividade Lúdica Expressiva (1ºciclo), Clube Eco Escolas

3.3. N.º de alunos envolvidos:

40

3.4. N.º de funcionários da Escola envolvidos:

2

4. As famílias são envolvidas?

4.1. Como e com que frequência?

Através das atividades e iniciativas propostas em reuniões ou pelos filhos com convites. Também participando na construção de projetos e no fornecimento de materiais e na cedência de sementes e plântulas.

5. Apresentar exemplos do impacto da horta na comunidade e nos alunos:

Mais uma vez, a escola foi “internacionalizada” ao dinamizar vários workshops e visitas ligados ao Programa Erasmus+ onde alunos e professores dos diferentes projetos e países de que a escola é parceira, puderam aprender connosco as boas práticas de agricultura biológica.
Ao longo dos vários anos de implementação da horta notamos que os alunos vão estando cada vez mais sensibilizados para o trabalho que aqui se realiza. O ambiente e a alimentação saudável são temas transversais às matérias abordadas nas salas. A horta proporciona diversas possibilidades de exposição destes temas e permite o desenvolvimento de ações pedagógicas em equipa, explorando a multiplicidade e interdisciplinaridade das diferentes formas de aprender e de ensinar. Neste sentido, a horta possibilita intervir na cultura dos alunos e envolver a participação dos professores em novas práticas pedagógicas. Permite ainda, consolidar os conhecimentos e fomentar o gosto e o respeito pela Natureza e pela preservação e engrandecimento do património natural da região.
A horta permite desenvolver o espírito de entre ajuda, cooperação e partilha de conhecimentos entre os elementos da comunidade educativa.
Também a venda direta dos produtos hortícolas na escola e a confeção de pequenas refeições possibilitaram a divulgação dos mesmos e das práticas seguras e saudáveis na agricultura/horticultura.
Gradualmente as famílias dos utilizadores da horta foi alterando algumas práticas de cultivo e hábitos alimentares. Passou-se a falar de compostagem e a realizá-la em casa e, a valorizar práticas amigas do ambiente e da preservação dos recursos naturais.

6. Como é organizada a manutenção da horta e a repartição de tarefas?

Existe um regulamento de funcionamento e do utilizador da horta biológica. Cada grupo (utilizador) possui um talhão que cultiva segundo os princípios da Agricultura Biológica e respeitando o regulamento; São realizadas sementeiras (sementes biológicas) em estufa pelos alunos do curso de Jardinagem e Espaços Verdes, de acordo com a época e que depois são cedidas aos utilizadores ou plantadas por si; Todos os utilizadores contribuem com os resíduos orgânicos das suas hortas para a compostagem; A coordenadora do projeto Horta Escolar Bio presta colaboração/apoio aos utilizadores da horta (demonstrações); Projeto Escola+Verde (Município).

7. Como é feita a preparação do solo?

No início de cada ano e, em virtude do solo da horta, compactar com facilidade, é necessária a sua mobilização, com auxílio do escarificador e da grade, tendo sido inicialmente realizada a limpeza dos detritos existentes. Foram deixados alguns resíduos das culturas, para serem incorporados ao solo como fontes de azoto e de nutrientes.
As fases seguintes foram de incorporação de matéria orgânica obtida através da compostagem produzida na escola e de cinza de madeira, resultante da queima de lenha das podas, pois o solo da horta tem uma acidez média.

8. É feita compostagem?

8.1. Se sim, como e com que materiais?

É realizada através da compostagem (pilhas e compositores de plástico).
Materiais utilizados: 1. Com elevado teor em carbono: palhas, cascas, serrim, folhas, podas. 2. Com elevado teor em azoto: borras de café recolhidas nas pastelarias dos arredores da escola e do bar dos professores; desperdícios de cozinha da cantina composto basicamente por cascas, desperdícios e restos de frutas e legumes e por cortes de relva dos jardins – tendo o cuidado de alternar, sucessivamente, no compostor/pilha as camadas de material castanho e verde, sendo que a primeira e última camada, são sempre materiais castanhos para evitar a lixiviação e ação direta da luz solar (na pilha).

9. Quais as culturas / consociações instaladas?

As consociações utilizadas são as que combinam gramíneas e leguminosas, aproveitando a fixação de azoto das leguminosas e as vantagens da gramíneas, na proteção do solo, contra a erosão. Também realizamos associações de hortícolas com diferentes velocidades de crescimento, para aproveitar melhor o terreno. Outras consociações são planeadas com vista à proteção das culturas, nomeadamente no combate de pragas com efeito de repelência ou atração de insetos auxiliares. Temos o cuidado de selecionar variedades resistentes e bem adaptadas às condições locais. Variedades regionais são mais tolerantes a pragas e doenças.
Associações instaladas na horta: a) Alface, cebola, b) Batata, feijão e espinafre; c) Ervilha, alface, couve lombarda; d) Alface e salsa; e) Fava, coentros, couve-penca, f) Ervilha, salsa, cravo-túnico, couve-lombarda, alface; g) Ervilha-de-cheiro, pelargónio, salsa, couve-coração; h) Alho, alface, couve-portuguesa; i) Alho-francês, cebola, alface; j)Couve-flor, acelga, beterraba, alho-francês, endro, alecrim, rosmaninho, erva-cidreira; l)Feijão da trepa, chagas, salsa, coentro; m) Cenoura, feijão da trepa, aipo; n) Pepino, tomate, pimento padrão.
Ao longo da horta plantamos uma bordadura de ervas aromáticas e de flores com o intuito de funcionarem como plantas inseticidas/ insetífugas e, ainda outras com a função de plantas-armadilhas.

11. É feita recolha da água da chuva?

11.1. Como é feita a gestão da rega?

O Sistema de rega funciona através de bombagem de água do ribeiro que passa junto à horta. Também aproveitamos as águas pluviais que guardamos em quatro tanques (1000L, cada). Construímos eco bidons, que são o aproveitamento de velhos bidons, e recolhemos a água da chuva para rega das plantas na estufa.
Este ano estava previsto o aproveitamento do furo que se fez na escola com o apoio do município, no entanto, a situação de confinamento, atrasou a sua instalação.

12. Monitorização de pragas e doenças:

12.1. É feita monitorização de pragas e doenças? Como e com que frequência?

Sim. Inspeção regular das culturas para verificar o seu aspeto (manchas ou mordeduras); são realizadas culturas diversificadas, estabelecendo rotações; luta biológica - joaninha/pulgão; atração de auxiliares pela plantação de espécies diversificadas; manutenção dos ninhos artificiais e do hotel para insetos; criação de bordaduras de flores coloridas; armadilhas de cerveja; apanha manual de pragas; manter a horta limpa de ervas daninhas e de lixo; são criados espaçamentos entre culturas e controlo da rega para não originar o desenvolvimento de fungos; instalação de culturas intercalares de plantas aromáticas como medida de prevenção.

12.2. Houve ataques de pragas e/ou doenças?

12.3. Se sim, quais e como foram combatidas?

13. Existem animais de criação ligados à horta?

13.1. Se sim, que espécies?

14. Assinale outras atividades que se realizam em torno da horta:

Feira na escola
Feira na comunidade
Confecção de sopas e outros pratos
Concursos
Aulas na horta
Outra

Outra, qual?

14.1. Das que assinalou, descreva até três que considera mais significativas, referindo para cada uma o número de vezes que se realizou durante o ano, número de pessoas envolvidas, tipo de participação dos alunos, impacto na comunidade e outros aspetos relevantes:

Atividade 1:

Descrição:

- A horta tem também uma vertente social. Apoia, através do Cabaz Verde, famílias carenciadas com produtos da horta.
- 3 Workshops dirigidos a alunos e professores estrangeiros do Programa Erasmus+.
- Visita das turmas à horta para aulas práticas/experimentais (todos os níveis de ensino).
- Visitas diversas de grupos de professores e alunos do Programa Erasmus+
- Desenvolver atividades integradas no Projeto Escola+Verde, com alunos do 1ºciclo e participação no concurso do município.
- Articulação curricular das disciplinas e as AEC nomeadamente a Atividade Lúdica Expressiva, 1º ciclo.
- Cedência de legumes para a confeção de refeições com os alunos de NEE.
- Venda direta.

Fotografias:

Atividade 2:

Descrição:

Fotografias:

Atividade 3:

Descrição:

Fotografias:

15. Outros aspetos de realce da horta:

Em primeiro lugar pela sua dimensão. Em segundo, pelas interações que se geram, entre a escola e a comunidade educativa. Estabelecemos parcerias com a comunidade local e alargada para nos ajudarem a melhorar a horta. Depois, para além do modo de produção ser bio, é sujeita a um Regulamento de Utilizadores. Cada talhão/parcela é explorada por utilizadores: professores, assistentes operacionais, alunos dos diferentes níveis de ensino; Clube da Horta Bio e pais. É tida como um potencial recurso educativo e a par da estufa, um laboratório vivo de aprendizagem.
Também neste ano, implementamos outras formas de modo de produção sustentável, em semi hidroponia com garrafas PET, de ervas aromáticas, construímos um jardim vertical de aromáticas, envolvendo a turma 3.º C do Centro Escolar da escola sede, com articulação entre a horta, Estudo do Meio e a Atividade Lúdica Expressiva - ALE.
Este ano, e relacionado com o tema da floresta, foram semeadas mais de 200 bolotas de carvalho e sobreiro, para além de outras espécies.
A participação de agricultor local na mobilização do solo, com alfaias agrícolas mecanizadas, uma vez que o solo tem forte tendência para compactar e com grandes quantidades de pedra. Não se pode moldar ou mudar rapidamente o solo, de acordo com as nossas necessidades ou expectativas, pelo que é importante criar condições para o solo produzir de forma sustentável.
Em parceria com o Município e outras entidades, deu-se continuidade à reflorestação do Bosque das Autóctones e junto da horta, com dádiva de pequenas árvores autóctones destacando-se, pela novidade, os teixos.
Assinalámos o Dia da Floresta Autóctone com a plantação das pequenas árvores;
Colaboração das famílias para nos cederem sementes, nomeadamente o centeio para a adubação verde; replantação dos morangueiros na pequena horta, em que todos os rizomas foram cedidos por um encarregado de educação; garrafas PET e trapilho.
Fazemos a germinação das culturas em estufa, para posterior transplantação na horta e jardins;
Desenvolvemos atividades experimentais entre as disciplinas de Ciências Naturais e Físico-Química: análise física e química do solo, estudo dos fatores ambientais na sementeira, germinação e crescimento das plantas.
O apoio de uma cozinha especificamente equipada para ensinar os alunos com NEE (e outros) a confecionarem as suas refeições com os produtos da horta, tendo em vista a sua preparação para vida ativa;
Fazemos várias colheitas e utilizamos os produtos da horta na Campanha Cabaz Solidário.
Plantamos canteiros de flores e de plantas aromáticas para atrair insetos polinizadores e aumentamos a área do pomar com mais árvores frutíferas.
Preservamos a biodiversidade existente, através da manutenção das caixas ninho, do hotel para insetos, das sebes de vegetação natural e espontânea (arbóreas, arbustivas e herbáceas) nas delimitação do campo agrícola, bem como, a preservação do bosque das melíferas e das autóctones, constituindo nichos favoráveis ao desenvolvimento de animais auxiliares, contribuindo para o equilíbrio do ecossistema agrícola, pelo aumento da diversidade de flora e fauna que ali vive.
Conservamos o recurso hídrico existente - ribeiro, e a vegetação ripícola existente nas margens e também, utilizamos a água para rega da horta. Enriquecemos a biodiversidade com a exploração agrícola criando e mantendo mosaicos/parcelas com produção de centeio e tremocilho que disponibilizam alimento para insetos e aves e, por fim destinam-se a adubação verde.
Cremos que a horta é um local educativo-pedagógico de toda a comunidade educativa, que tem permitido a valorização do modo de produção bio e a dignificação da profissão de agricultor; perceção de sustentabilidade, consciência ecológica, noção de comida e cozinha saudável; participação e dinamização em/de ações e palestras de sensibilização à consciência ambiental e alimentação saudável.

15.1. Link para a página da horta: