As Nossas Hortas Bio

Escola EB 3/ Secundária Afonso Lopes Vieira (Leiria)

A Nossa Horta Bio

Horta grande (superior a 50m²)

horta em janeiro

saber mais sobre a nossa horta bio

questionário

1. Há quanto tempo existe uma horta na escola?

13 anos

2. Área aproximada da horta (m²):

180 m2

3. Quem trata da horta?

3.1. N.º de professores envolvidos:

8

3.2. Disciplinas que mais participam na dinâmica da horta:

Biologia e Geologia; Educação Especial; Física e Química; Educação Física; Matemática; Ciências Naturais; Oficina Gráfica

3.3. N.º de alunos envolvidos:

28

3.4. N.º de funcionários da Escola envolvidos:

1

4. As famílias são envolvidas?

4.1. Como e com que frequência?

Colaboram na dádiva de sementes, quando não são suficientes as do ano anterior e fornecem algumas plantas. Dão conselhos sobre a forma de cultivar, plantar, cuidar e apanhar os produtos hortícolas. Colaboram também na rega, ao final do dia.

5. Apresentar exemplos do impacto da horta na comunidade e nos alunos:

A horta colabora no Projeto Social da escola e é um local de referência a todos que nos visitam.
Os alunos respeitam o espaço e gostam de colher alguns morangos ou frutos de árvores como figos, damascos, nêsperas, uvas, amêndoas e nozes, tendo sempre o cuidado de não danificar os "canteiros".
Este ano e, apesar de ser difícil conseguir a participação dos alunos mais velhos, temos alunos duma turma do 11º ano, ensino regular a participar na horta, de forma bastante ativa.

6. Como é organizada a manutenção da horta e a repartição de tarefas?

A horta está organizada em talhões. Após a atribuição dos talhões, no início do ano, é feita uma sessão de informação/formação aos detentores destes sobre agricultura biológica.No início deste ano a terra foi fresada com o apoio de um professor da escola e alguns alunos mais velhos, orientados por este professor. Posteriormente, os responsáveis prepararam o solo recorrendo a alfaias manuais disponibilizadas pela escola e utilizaram o composto produzido na escola. As tarefas são da responsabilidade do detentor de cada talhão, havendo uma escala de responsáveis para realizar a recolha de materiais para a compostagem. Também há uma escala para a rega, de modo a que esta seja realizada nas horas de menos calor, para evitar a evaporação. Um grupo de professores do projeto Educação para um Ambiente Sustentável possui também um talhão, não sujeito a concurso, e preocupa-se em guardar sementes, dos anos anteriores, para depois fornecer a alguns responsáveis pelos talhões. Um dos professores do referido projeto fica responsável por resolver ou encaminhar os problemas que porventura se criem e há reuniões pontuais para acertar trabalhos. Estes talhões estão sujeitos ao regulamento das Hortas Bio na ESALV, estando previsto, nesse regulamento a avaliação da horta por um júri, no final do ano letivo, sendo atribuídos prémios simbólicos aos três primeiros classificados em sessão solene organizada no dia Eco-ESALV.

7. Como é feita a preparação do solo?

Em Setembro, o terreno foi fresado com a finalidade de descompactar o solo e para enterrar alguns restos de plantas da cultura anterior e ervas que cresceram na horta durante as férias de verão. O composto produzido na escola é ainda utilizado conforme as necessidades das culturas, em cada talhão ao longo do ano, principalmente no terreno de horta acrescentado há uns anos e que ainda está muito pobre. Os detentores de cada talhão são responsáveis pela preparação específica do solo quando fazem as culturas. Por vezes utiliza-se garrafões de plástico para proteger as culturas dos caracóis.

8. É feita compostagem?

8.1. Se sim, como e com que materiais?

Existem 2 compostores em madeira e 6 compostores em plástico cedidos pela empresa ValorLis.
A compostagem é feita ao longo do ano com os resíduos vegetais da cantina escolar, resíduos orgânicos trazidos por alguns professores e com os restos verdes obtidos dos espaços ajardinados da ESALV. No outono são apanhadas as folhas das árvores caducifólias dos jardins da ESALV e guardadas para utilização ao longo do ano como material seco.

9. Quais as culturas / consociações instaladas?

Culturas: alfaces, couves (galega, coração, penca, brócolos, lombarda e couve-roxa), ervilheiras, faveiras, pepineiros, pimenteiros, salsa, coentros, rúculas, morangueiros, curgetes, feijoeiros, aboboreiras, espinafres, batateiras, cenouras, alhos, cebolas, nabiças, alho-francês, beterraba. Não se respeita muito as consociações estipuladas pela bibliografia, porque as culturas são arrancadas e substituídas por outras conforme o espaço existente.
Contudo verificam-se as seguintes consociações: ervilha+alho; alface+cebola; alface+alho; fava+cebola; milho+feijoeiro. Verifica-se a mistura de diversas culturas. Existem também várias plantas aromáticas num canteiro central da horta dos talhões a concurso onde são cultivadas plantas aromáticas, bem como em locais estratégicos das culturas. As plantas aromáticas/auxiliares/medicinais cultivadas são: alecrim, alfazema, calêndula, cravo-túnico, arruda, caril, salva, erva-príncipe, hortelã, erva-cidreira e lúcia-lima.

10. Apresentar um desenho/croqui da horta:

11. É feita recolha da água da chuva?

11.1. Como é feita a gestão da rega?

É recolhida alguma água da chuva que é armazenada num depósito (oferta AKI). Esta água é posteriormente utilizada para a rega. Algumas assistentes operacionais também recolhem água da chuva, em baldes, que depois colocam dentro do depósito. Temos instalada rega gota-a-gota, para as árvores, que é ligada 2 vezes por semana quando há necessidade de regar. A rega é feita pela manhã ou ao fim da tarde para minimizar as perdas de água por evaporação. Existe um sistema rotativo de responsáveis pelos talhões para o fazer. Infelizmente a maior parte da água utilizada na rega está dependente da água da companhia, por impossibilidade de ter um furo.

12. Monitorização de pragas e doenças:

12.1. É feita monitorização de pragas e doenças? Como e com que frequência?

Como prevenção, utilizamos infusão de cavalinha e urtiga, para fungos.
As ervas daninhas são arrancadas por monda e sacha. Na preparação dos terrenos já podemos contar com a roçadora, oferecida pelo AKI, para cortar as ervas mais altas.

12.2. Houve ataques de pragas e/ou doenças?

12.3. Se sim, quais e como foram combatidas?

13. Existem animais de criação ligados à horta?

13.1. Se sim, que espécies?

14. Assinale outras atividades que se realizam em torno da horta:

Feira na escola
Feira na comunidade
Confecção de sopas e outros pratos
Concursos
Aulas na horta
Outra

Outra, qual?

Venda de plantas aromáticas para tempero e infusões durante a realização do Mercado dos "Chás e Afins", por altura do Natal e este ano, pela primeira vez estaremos presentes no Mercado da Páscoa.

14.1. Das que assinalou, descreva até três que considera mais significativas, referindo para cada uma o número de vezes que se realizou durante o ano, número de pessoas envolvidas, tipo de participação dos alunos, impacto na comunidade e outros aspetos relevantes:

Atividade 1:

Descrição:

Realização de “mini-mercados”/”mercadinhos” de produtos biológicos, com alguns produtos cultivados na horta. Parte da receita reverte a favor do Projeto Social da Escola e outra parte é utilizado para a sustentabilidade financeira da horta, como reparações de mangueira, de torneiras e compra de algumas alfaias agrícolas, árvores de fruto para plantar. No final do ano elege-se a melhor horta (Concurso Horta Bio na ESALV) de acordo com regulamento feito para o concurso e entrega-se um diploma no dia Eco-ESALV e um prémio simbólico aos vencedores.

Fotografias:

Atividade 2:

Descrição:

Fazem-se sessões práticas sobre a utilização das plantas aromáticas na alimentação (infusões, estímulo ao uso de plantas aromáticas frescas como tempero em substituição do sal) para alunos de diferentes níveis de ensino.
Realização de sessão informativa sobre as propriedades de algumas plantas medicinais e aromáticas.

Fotografias:

Atividade 3:

Descrição:

Venda, na atividade Mercado de "Chás e Afins", de plantas aromáticas cultivadas na escola, secas e verdes, para infusões e tempero e de frutos colhidos das nossas árvores, pelos alunos.
Também vendemos compotas confecionadas pela coordenadora do Programa Eco-Escolas, com fruta biológica oferecida por docentes da escola. Também são vendidos outros produtos biológicos, como mel, ovos, abóboras, cebolas, etc.

Fotografias:

15. Outros aspetos de realce da horta:

O trabalho de cuidar da horta resulta principalmente de um esforço de alunos, professores e funcionários que dispõem do seu tempo livre para semear, plantar, regar, cuidar e apanhar o fruto do seu trabalho. A maioria dos produtos cultivados é vendido em mercadinhos na escola para que toda a comunidade escolar possa usufruir deles (alunos, pais, professores e funcionários). Da receita obtida nestes mercados, uma parte é oferecida ao Projeto Social da ESALV, que auxilia famílias carenciadas. Alguns talhões são também trabalhados por alunos com necessidades educativas especiais, que aprendem a tratar da horta.
Incentiva-se o uso de sementes biológicas, de composto orgânico e de técnicas de eliminação das pragas de forma menos agressiva.
Incentivamos também à utilização das nossas plantas aromáticas. Secamos e vendemos nos diferentes Mercadinhos. Fazemos os nossos bálsamos para a pele seca, que fazem sucesso e para os quais apenas confiamos nos nossos produtos isentos de pesticidas. Alargaremos a rega-gota-a-gota às novas áreas plantadas.
Com este projeto, todos ganham!

15.1. Link para a página da horta:

https://ecoescolas.abae.pt/plataforma/index.php?p=schoolpage&id=1292